2016 foi um ano para nerd nenhum colocar defeito. Tivemos inúmeros lançamentos de filmes de super-heróis, a volta do mundo dos bruxos, desenho da nossa infância, spin-off de Star Wars… foi tanta coisa boa, mas também houveram os péssimos investimentos das grandes produtoras, que resolvemos fazer uma retrospectiva dos longas que nos conquistaram ou geraram uma decepção neste ano que se vai.

Começando com o pé direito, tivemos Deadpool, em fevereiro, que nos surpreendeu com o seu alto nível de sarcasmo ao enfrentar seus inimigos. Que o filme foi um dos melhores do ano, isso não temos dúvida. A Fox entregou um longa mostrando que a vida de um super-herói não é só flores e que o humor pode ser muito bem encaixado no mundo nerd.

(E é claro que não podemos deixar de citar a premiação de melhor ator para Leonardo DiCaprio, no Oscar, o que causou o maior alvoroço da internet.)

Os fãs de Batman e Superman não aguentavam mais esperar tanto para o que estava por vir: Batman vs Superman balançou o coração até de quem não gostava dos personagens centrais da história. O filme uniu os conflitos entre heróis, seus pontos fracos, o trabalho em equipe para derrotar o mal, trouxe à tona personagens ainda não explorados e uma pergunta: cadê a continuação, DC?

x-men-3

E se você acha que a Marvel não contra atacaria, está enganado(a). Em abril, tivemos uma das guerras mais épica entre personagens que nem imaginávamos que veríamos brigar. Em Capitão América: Guerra Civil, o longa explorou o passado do Capitão América e Homem de Ferro, o que causou problemas para diversos heróis que participaram da produção. Além disso, tivemos uma participação sensacional: o pequeno Peter Parker que nos divertiu em momentos de tensão e revelou ser um grande fã de Tony Stark.

Maio foi o mês de estreia de X-Men: Apocalipse. Os fãs da franquia insistem em dizer que foi um bom filme, mas a bem da verdade é que a Marvel não acerta muito quando o assunto são os mutantes que a gente adora. A produção é o fim da segunda fase da franquia e para quem gosta muito foi mais um prato cheio, porém cheio mesmo ficou o saco de críticas negativas da produção que levou foi muito pedrada por aí.

Em junho foi a vez dos gamers darem uma passada nos cinemas para conferir o lançamento de Warcraft: O Primeiro Encontro de Dois Mundos. O longa recebeu críticas bem positivas com sua estreia e deixou os fãs da franquia bem felizes com a adaptação. De forma geral, o filme foi bem fiel ao levar para as telonas o universo Warcraft que os amantes do jogo estão acostumados.

Diferentemente do primeiro, Tartarugas Ninja 2: Fora das Sombras se deu um pouco melhor com as cenas de ação e trouxe um enredo com muito mais reviravoltas, porém, nem assim atingiu o esperado para se tornar um sucesso cinematográfico. Tartarugas Ninja não é mesmo um filme UAAAAU, mas se você cresceu vendo os heróis cômicos e gosta da nostalgia que o longa é capaz de proporcionar, provavelmente se deliciou quando ele estreou em junho nos cinemas.

A nostalgia rolou solta com a vinda de Procurando Dory, onde tínhamos que encarar mais um sumiço de um dos peixes da história: a Dory. A Disney fez um ótimo trabalho trazendo referências do filme anterior, Procurando Nemo, e demonstrando que ainda tem muita coisa para nos mostrar sobre a vida marinha e sobre o valor da amizade.

Star Trek: Sem Fronteiras não foi poupado de elogios e críticas positivas. O filme não só atingiu, como ultrapassou as expectativas de qualquer fã de Jornada nas Estrelas. Sua estreia, em julho, deixou as salas de cinema lotadas e todos maravilhados com cada uma das cenas empolgantes que ele apresentou.

É tão bom quando um filme que a gente ama ganha uma nova versão que atinge nossas expectativas, não é mesmo? Foi justamente isso que aconteceu com Caça-Fantasmas, que estreou em julho. O longa fugiu do convencional dos remakes e trouxe uma cara realmente nova aos elementos do filme de 1984. Uma das coisas que mais chamaram a atenção foi o fato de o novo Ghostbusters ser protagonizado por mulheres, algo que [sem sombra de dúvidas] não diminuiu em nada a sacada dramática e cômica da produção.

esquadrao-suicida_pjmmj5f

Em agosto foi a vez do tão aguardado Esquadrão Suicida dar as caras no cinema. A verdade é que o filme deixou a desejar e acabou não agradando tanto os fãs, que esperavam por um enredo maravilhoso e uma atuação digna de estatueta (vai que…) dos atores, principalmente de Jared Leto que encarnou, ninguém menos, que o vilão Coringa. Por outro lado, destacaram-se Margot Robbie e Will Smith, que viveram Arlequina e Pistoleiro, respectivamente. Ah, destaque também para a trilha sonora, que está divina.

A volta do mundo dos bruxos foi garantida com o lançamento de Animais Fantásticos e Onde Habitam, em novembro. O longa mostra as aventuras de um viajante que carrega consigo uma mala com diversas espécies de animais mágicos e a união dos bruxos para garantir que a sua existência não seja descoberta pelos trouxas. Como é de costume, a Warner fez um ótimo trabalho e nos maravilhou com os efeitos especiais, história e seleção de atores para o filme.

Também em novembro, tivemos Doutor Estranho que nos fez ver que um super-herói não se constrói de um dia para a noite. Estranho foi um daqueles personagens que mal chegou e já conquistou o coração dos nerds sem muito esforço. A história e a essência do misticismo, faz com que o filme tenha algo de especial a ser explorado. Outra coisa que precisamos citar é o uso da computação gráfica que nos proporcionou uma experiência de deixar qualquer um de queixo caído.

rogueone

Como presente de natal, tivemos o lançamento de Rogue One: Uma História Star Wars, que zerou o ano com a sua superprodução. O spin-off de Star Wars nos fez conhecer um mundo muito além dos personagens centrais da história original. O trabalho em equipe foi um dos pontos mais explorados, mostrando que não é preciso sabres de luz para derrotar o mal. Falando em sabre de luz, Darth Vader fez os nossos corações baterem mais forte em suas aparições e na sua última cena, na qual sua arma se acende na escuridão. Fala a verdade, dá até uma vontade de se unir ao Império, não é?!

E aí, nerds? Quais foram os melhores e piores filmes, na opinião de vocês, deste ano? Conta pra gente.

Marina Mendes
marinamendesmota@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *