GK Relembra| Retrospectiva de Seriado

Continuando a série de retrospectiva, vamos revisitar os seriados que nos conquistaram em 2016.

Esse ano foi um prato cheio para os nerds. Além dos cinemas bombarem e consoles ganharem jogos de peso, as séries também fizeram bonito.

O que esperar de uma das MELHORES séries de super-heróis já lançadas dos últimos tempos? Só coisa boa, né! Estamos falando de Demolidor, ou melhor, da 2ª temporada de Demolidor, que estreou [para nossa alegria] no comecinho do ano, em março. Que série! Nessa segunda parte, Matt Murdock está ainda mais sangue nos olhos. A ideia é mandar os vilões para longe de Hell’s Kitchen, maaas, vida de herói não é fácil e, na falta de vilão, surge um anti-herói também disposto a dar fim com a maldade. Aliás, ele é nada mais, nada menos, que o Justiceiro. Tudo podia fluir bem, mas, sabe como é, né?! Matt tem seus métodos e o Justiceiro tem os dele, ou seja, muita treta, muita ação, mas muita parceria, porque surge na história também nossa querida Elektra, que, cai entre nós, tá mais louca do que nunca. Bom, nem é necessário dizer que a continuação de Demolidor só veio para somar com as críticas positivas que a série vem ganhando desde sua estreia. A única coisa que os fãs podem exigir é que venha logo a 3ª temporada, estamos ansiosos!

Em abril, nem só de sofrimento vivemos com a temporada de Game of Thrones (finalmente!). Após morrer e nos deixar com o coração na mão, João das Neves foi ressuscitado por Melisandre e se reencontrou com sua meia-irmã, Sansa Stark, que conseguiu fugir de Ramsey Bolton. Em uma Batalha dos Bastardos que nos tirou o fôlego e personagens queridos, como o gigante Wun Wun e o mais novo dos Stark, Rickon, Jon e Sansa finalmente recuperaram sua casa e Ramsay teve o final que merecia. Mas não foi só isso! Arya Stark, que foi treinada durante toda a temporada para ser “ninguém”, completou a vingança com a morte de Walder Frey e seus filhos. Também descobrimos a origem do nome de Hodor e o motivo de ele só falar essa palavra. E logo em seguida ele morreu :(

Cersei Lannister resolveu todos os problemas de uma só vez colocando fogo em parte de Porto Real, assim como o Rei Louco pretendia. Daenerys Targaryen também conseguiu apoiadores importantíssimos e reuniu um exército que inclui o povo dothraki, forças Tyrell e Martell, além de seus 3 dragões e os homens que já havia libertado. E a cereja no topo do bolo foi quando Jon Snow, graças ao discurso da lindinha Mormont, foi apoiado como o Rei do Norte! E ainda por cima nos foi revelado que a teoria de Jon ser filho de Lyanna Stark e Rhaegar Targaryen é real! VEM TEMPORADA SETE!

Quando uma série de assassinatos envolvendo um grupo de amigos acontece em uma pequena cidade, já temos uma noção de quem poderá estar envolvido. Mas isso não é o caso de Scream que já está em sua terceira temporada. Exibida desde 2015,  o seriado promete altas revelações ao decorrer da história. Ainda estamos presos ao passado da mãe de Emma, que esconde coisas envolvendo um personagem na qual não temos muitas informações, além de saber que ele foi assassinado depois de cometer alguns erros na sua vida. O que acontece é que existe alguém em Lakewood querendo justiça e essa justiça precisa ser feita pelas próprias mãos e a sangue frio, tornando tudo mais macabro e mais intrigante.

scream

Após os últimos episódios divulgados no Netflix, não sabemos mais quantas pessoas estão envolvidas neste plano de vingança. A única certeza que temos para a sua quarta temporada, que ainda não houve confirmação de data de lançamento ou se haverá continuação, é de que há um novo forasteiro na cidade. Quem será o culpado por tantos crimes? Será que os amigos Emma, Audrey, Brooke e Noah, sobreviverão até o final?

Stranger Things, a grande sensação do ano, trouxe uma série de referências aos anos 80 e um mundo completamente novo (literalmente). O “Upside Down”, uma instituição que é capaz de qualquer coisa para esconder suas experiências, uma criança com poderes de Jedi, uma mãe que fala com luzes de Natal e um monstro assustador saído de um RPG. Com uma história diferente, uma narrativa bem desenvolvida e elenco SUPER carismático, não tinha como dar errado e Stranger Things já foi renovada para sua segunda temporada (mas ainda demora :/).

Em exibição desde setembro, Exorcista veio para preencher a falta de seriados destinados aos fãs de terror. Com a intenção de interligar a história original de 1973, a produtora fez um ótimo trabalho, demonstrando que a possessão é muito mais complexa do que sabemos. Além disso, houve exploração de um tema até que polêmico em relação a este assunto: o envolvimento e como a igreja católica  lida com exorcismos. Com a escalação de ótimos atores, um bom roteiro, Exorcista conquistou o seu público sem precisar colocar sustos desnecessários ao decorrer dos episódios. O final foi surpreendente, mas apesar de uma ótima produção e um trabalho impecável, houve uma certa rejeição e ainda não temos confirmação de uma segunda temporada. 

Luke Cage nem havia estreado e todo mundo já amava. Isso porque o personagem já tinha dado as caras na série que arrebatou nossos corações apaixonados por heróis, Jessica Jones. Então, era meio que o viesse seria lucro. E foi! Na primeira temporada, nós conhecemos toda a essência de Cage, como ele se tornou aquele sobre humano de pele impenetrável e sua história desde a infância até ali. A série se passa no Harlem e é lotada de personagens maravilhosos, como Cottonmouth, ou boca de algodão, que, muitas vezes, rouba a cena com sua vilania de fino trato. Infelizmente, seu final nessa primeira fase não é dos melhores. Mas, calma, vilão não falta. Muito menos ação das boas. Aliás, nem vilão, nem ação e nem parceiros, porque a série prega muito sobre humanidade e amizade.

Outra coisa que chamou a atenção, foi o fato de a série ser linda de ver. Linda mesmo, com uma iluminação f*** e boas sacadas. Além disso, há várias referências aos Vingadores e, inclusive, a famosinha aparição de Stan Lee. E a trilha sonora é de dar gosto. Tá aí mais um acerto da Marvel Studios. Luke Cage estreou em setembro.

Por mais que a internet tenha nos fornecido spoilers e especulações durante os meses que tivemos que esperar até a sétima temporada de TWD, que chegou em outubro, nada (NADA MESMO) foi suficiente para diminuir o choque da perda de um dos personagens mais queridos pelos fãs da série. Glenn Rhee, o eterno Pastel de Flango, depois de sobreviver a inúmeras situações complicadas, não escapou de Lucille, o taco de baseball de Negan. E não foi só ele. Abraham também nos deixou. Depois do tenso episódio de estreia, em outubro, quando o coreano e o ruivo tiveram as cabeças esmagadas pelo novo antagonista, nossos corações passaram a ser pisoteados semanalmente ao ver Rick, o líder que respeitamos, ser humilhado e ter que abaixar a cabeça para um dos vilões mais odiados até agora.

Além disso, The Walking Dead foi eleita pela revista “Variety” como a pior série de 2016, com o argumento de que a narrativa é preguiçosa e cabeças são esmagadas para preencher a história, afirmando que os produtores brincam com o espectador assim como Negan brinca com suas vítimas… Opinião é opinião!

black-mirror-torre-2

Já pensou levar uma vida baseada na avaliação dos outros? Mas, e ser cobaia de um jogo de terror que explora a ideia de realidade aumentada, já pensou? Ou se você fizesse algo nada [nadinha mesmo] louvável e alguém o ameaçasse de tornar público na internet? Ou, de repente, se você se deparasse com a possibilidade de viver uma vida que é muito melhor que a sua, mas não é a sua? Ou ter que usar uma “máscara” para viver eternamente uma fábula de guerra? Ou, por fim, conviver com haters acabando com sua vida e fazendo seu próprio julgamento sobre o que você fez? Deu nó na sua cabeça, né? Pois é isso que a 3ª temporada de Black Mirror, que estrou em outubro, causou em todo mundo. A cada episódio um forninho caía. Provavelmente, uma das séries mais loucas, insanas e reflexivas do ano, Black Mirror, definitivamente, não veio a passeio e isso, que já é claro desde a 1ª temporada, só se faz mais verdade quando percebemos que a gente ama, mas tem até medo de assistí-la, porque né… já pensou se acontece? :S

Em outubro, a HBO nos presenteou com o seu mais novo seriado, Westworld, que considerado por muitos, virá a substituir a série de maior sucesso do canal, Game Of Thrones. Com uma produção impecável e um elenco sensacional, Westworld nos leva a um parque temático com uma população de androides que simulam o velho oeste, cada um desses androides foram construídos exatamente como humanos e possuem até os mesmos sentimentos, além de uma história própria para se encaixar na narrativa principal do parque, mas o que acontece quando esses androides começam a criar consciência própria? O que acontece também quando alguns funcionários da Delos (empresa que administra Westworld) começam a ajudar esses androides ou quando se descobre que um dos funcionários responsáveis pelo comportamento dos androides é um androide também? São perguntas que ficam muito melhores de obtermos as respostas assistindo aos 10 episódios da 1ª temporada.

Em um resumo mais direto, a diretoria da empresa está querendo que o Dr. Robert Ford (responsável pela narrativa do parque) se aposente, mas ao mesmo tempo eles temem que ao fazer isso, Ford tenha uma última carta na manga para destruir a reputação do parque, e bom, eles não estavam errados. Com muitos mistérios do começo ao fim e revelações de deixar qualquer um maluco e sem saber o que pensar, Westworld veio para completar a lista dos seriemaníacos de plantão, e a HBO ja nos confirmou uma segunda temporada que, nas palavras do showrunner Jonathan Nolan, será “definida pelo caos”, e com isso ele deixa a todos com uma ansiedade enorme para a continuação que ainda não possui data definida mas que já estamos no aguardo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *